Tony Homsy           Desde o  engajamento financeiro e em oração da Link Church pela Síria tenho acompanhado atentamente os desdobramentos da situação deste lugar importante para o Cristianismo primitivo. Relembrando, o apóstolo Paulo a caminho de Damasco [Síria], foi encontrado pelo Senhor Jesus e em Antioquia [também antiga Síria] foi onde os discípulos foram primeiramente chamados de Cristãos. Desde então a presença dos seguidores do Senhor tem sido uma constante minoritária, mas presente no país. Presença esta marcada por perseguições sofridas  pelos ataques de extremistas Islâmicos. Infelizmente neste mês pascal, mais uma vitima foi feita. O Jesuíta Frans van der Lugt, 70 anos, que atuava na Síria desde 1966, foi assassinado com dois tiros na cabeça na semana passada. Mesmo diante das condições de risco, ele negou-se a deixar “seu povo”, sua missão e a exemplo de Jesus, atingiu o maior nível de amor, como lemos nas palavras do apóstolo João:

“Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos.”  João 15:13

O mais triste é perceber a politica internacional, permitindo a permanência do ditador sírio Bashar al-Assad, mesmo depois de confirmado o seu uso de armas químicas, além de permitir que a liberdade religiosa não seja manifestada nem observada naquela nação.Neste mês de reflexão sobre o sacrifício de Jesus quase 2000 anos atrás, percebemos o mundo que jaz no maligno, continua com esta vocação.

Para os leitores de Inglês, um recado deixado pelo Frans poucos dias antes de sua execução:

“Christians in Old Homs are asking themselves: “What can we do? we can’t do anything!” But God will take care of us; we are paralyzed, though we believe that God is with us, especially in these taught circumstances… God will never forsake us, he knows us, and knows our suffering, he never wanted any evil. All he has is a compassionate look toward his beloved…

Tony Homsy_1Our faith helps us a lot to overcome this critical situation, provides us with hope and patience… But it is getting harder and harder, and our ability is getting narrower… Starving is threatening our lives, we miss the basic elements to survive, food and elementary needs…

But somehow we are surviving, and push life forward. Moreover, we experience the goodness of people who are in need. They find some lentils and bulgur (all they can people eat after two years) in front of their doors. Now, when we are poor and in need, we rediscover the goodness of human beings, when we receive from our brothers and sisters.

We see evil is trying to find his way among us, but it can’t turn us blind before the goodness, and we need to fight to keep this flame in our hearts… We are waiting the result of the negotiations, we are optimistic that they can find a solution for us, but time has taught us not to believe rumors…

We are preparing ourselves to Easter, reflecting on crossing from death to resurrection. We feel like we are in the valley of the shadows, but we can see that light far away, leading us to life again…We hope that Syria experience resurrection soon again… and Let’s move forward”.

Revd André Mira

 Você também pode ajudar os refugiados da Síria através da missão Portas abertas:

http://www.apoiesiria.org/doe#!doe/c1adp

Source:

https://thejesuitpost.org/2014/04/11881/